Insurgentes tentaram derrubar nesta segunda-feira (27) um helicóptero militar norte-americano no Afeganistão, após terem trocado tiros com a tripulação no centro do país. A tripulação do helicóptero, que sobreviveu ao pouso de emergência, foi resgatada, e as tropas dos Estados Unidos estavam “em operação para recuperar” a aeronave, disse o tenente Walter Matthews, porta-voz militar dos EUA.

“A tripulação do helicóptero trocou tiros com o inimigo, antes que o dano provocado pelos disparos derrubasse o helicóptero”, disse Matthews. Pelo menos quatro insurgentes foram mortos no tiroteio com a tripulação do helicóptero, disse o chefe do distrito de Sayed Abad, Fazel Karim Muslim.

A província de Wardak, onde o helicóptero foi derrubado, tem registrado um forte crescimento nas atividades dos insurgentes nos últimos dois anos. Atualmente, é extremamente arriscado viajar pelas estradas, principalmente à noite. Por isso, as tropas americanas e de outros países estrangeiros usam bastante os helicópteros para transportar soldados e mantimentos por Wardak e outras províncias afegãs.

Homem-bomba

Em outro incidente um homem-bomba suicida, vestindo um uniforme da policia afegã, explodiu-se em uma delegacia de polícia na província de Baghlan, no momento em que oficiais da polícia afegã se encontravam no local com instrutores norte-americanos. Dois soldados dos EUA foram mortos e outra cinco pessoas que estavam no local ficaram feridas.

O atacante entrou na delegacia de Pul-e-Khumri, capital da província de Baghlan, e detonou os explosivos. Os feridos são policiais afegãos. Zabiullah Mujahid, um porta-voz do grupo fundamentalista Taleban, assumiu a responsabilidade do ataque, em telefonema à Associated Press. Mujahid disse que o homem-bomba chamava-se Abdul Had e era natal da província de Baghlan.