Uma das principais cidades da Venezuela amanheceu nesta terça-feira com mais de cinquenta lojas saqueadas e dezenas de estradas bloqueadas após incidentes violentos que deixaram um morto e dezenas de detidos. Os distúrbios foram relatados em Maracay, capital do estado de Aragua e um dos principais centros industriais e militares venezuelanos, após um protesto nacional da oposição, que incluiu o fechamento de algumas estradas durante várias horas.

Ao menos 68 lojas foram saqueadas durante a noite de segunda-feira em diferentes áreas de Maracay, incluindo supermercados, farmácias, padarias, açouques e lojas de bebidas, segundo a governadora de Aragua, Caryl Bertho.

Os saques se espalharam até esta terça-feira, quando um supermercado e um mercado atacadista de Maracay foram atacados. Durante as ações violentas, foram queimadas as sedes da estatal Companhia Anônima Nacional de Telefonia da Venezuela, de uma agência de cobrança de impostos, um órgão de manutenção urbana e a sede do partido do governo.

Nesta terça-feira, o defensor público venezuelano, Tarek William Saab, expressou preocupações pela morte de 24 pessoas que não estavam envolvidas nas manifestações contra o governo de Nicolás Maduro, incluindo as que morreram em barricadas. Fonte: Associated Press.