O professor de biotecnologia sul-coreano Kim Tae-kook, do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coréia, irá retratar dois trabalhos publicados por ele em periódicos científicos internacionais. O motivo é que os artigos, sobre técnicas antienvelhecimento, foram fruto de evidências inventadas pelo pesquisador. Tae-kook admitiu ter forjado dados em um trabalho na revista Science, em 2005, e ainda repetiu o procedimento em outro trabalho que desdobrava informações desse primeiro, publicado pela Nature Chemical Biology, em 2006.

Os periódicos científicos norte-americanos não haviam ainda comentado as fraudes. A universidade suspendeu Kim Tae-kook de suas atividades de ensino e pesquisa. A entidade informou estar investigando para determinar se tomará outras medidas, disse seu porta-voz, Kim Chul-hwan. Não estava claro se o professor poderia enfrentar acusações na esfera judicial.

Esta é a última má notícia na área para o país, após a descoberta, em 2005, de que o mais famoso cientista sul-coreano, Hwang Woo-suk, usara falsas evidências para chegar a descobertas em pesquisas com células-tronco publicadas em periódicos internacionais. Um dos trabalhos de Hwang Woo-suk também havia sido publicado na Science.