O procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, anunciou nesta quinta-feira que ele não se envolverá em nenhuma investigação relacionada à campanha eleitoral do presidente do país, Donald Trump. Congressistas pressionaram Sessions a tomar esse passo para que se possa apurar a suposta interferência da Rússia na campanha eleitoral.

Sessions passou a ser alvo de questionamentos após relatos de que teve contatos com autoridades russas na época em que era conselheiro de Trump, ainda na campanha eleitoral. Durante sua audiência de confirmação no Senado, Sessions disse que não teve contato com autoridades russas durante a campanha.

Na entrevista coletiva de hoje, o procurador-geral disse que respondeu aos senadores sobre se teve contatos continuados com autoridades russas, o que segundo ele não ocorreu. A autoridade garantiu ter sido honesto e correto ao responder da maneira como entendeu, na ocasião.

Sessions, de qualquer modo, disse que sua equipe no Departamento de Justiça recomendou que ele se afastasse de qualquer investigação sobre a campanha de Trump, o que ele decidiu aceitar. Segundo ele, porém, isso não deve ser interpretado como uma confirmação de qualquer investigação da campanha de Trump. Fonte: Dow Jones Newswires.