Uma procissão presidida por Bento XVI e composta por 400 bispos, em comemoração aos 50 anos do Concílio Vaticano II, abriu nesta quinta-feira a missa solene que deu início ao Ano da Fé, que se prolongará até novembro de 2013.

Estiveram presentes à missa de hoje 14 dos 2.540 bispos que participaram do concílio em 1962, entre eles Serafim Fernandes de Araújo, cardeal e arcebispo emérito de Belo Horizonte, e José Mauro Ramalho de Alarcón Santiago, bispo emérito de Iguatu, no Ceará.

O papa XVI oficia a missa junto a 400 concelebrantes, sendo 80 cardeais, 14 padres conciliares (os que estiveram presentes no Concílio Vaticano II), oito patriarcas de Igrejas Orientais, 191 arcebispos e 104 presidentes de Conferências Episcopais de todo o mundo.

O evangeliário usado na missa desta quinta-feira é o mesmo do concílio de 50 anos atrás, evento do qual participou um jovem teólogo alemão de 35 anos, professor da Universidade de Bonn e que hoje é Bento XVI.

O Concílio Vaticano II foi encerrado em 8 de outubro de 1965, em cerimônia em que o papa Paulo VI entregou a “Mensagem ao Povo de Deus” aprovada pelos padres conciliares e na qual se pedia a paz para o mundo, para os governantes, homens de ciência e de pensamento, do mundo do trabalho, artistas, mulheres, pobres, doentes e jovens.

Hoje, Bento XVI lembrará esse gesto e entregará textos do Concílio e do Catecismo da Igreja Católica aos presentes.