Afeganistão, Paquistão, China e os Estados Unidos vão manter conversações em Islamabad, capital do Paquistão, na próxima segunda-feira (11), com o objetivo de retomar o processo de paz afegão.

O porta-voz do Ministério do Exterior do Afeganistão, Ahmad Shekib Mostaghni, disse hoje que os representantes discutirão um “roteiro para as negociações de paz”. A delegação de Cabul para a reunião de um dia será liderada pelo vice-chanceler Hekmat Karzai, disse ele.

O acordo para a nova rodada de negociações foi fechado durante uma visita a Cabul, no mês passado, feita pelo chefe do Exército do Paquistão, General Raheel Sharif. As conversas não vão incluir os talibãs, que têm lutado contra o governo apoiado pelos Estados Unidos há quase 15 anos, e têm intensificado recentemente os seus ataques.

As conversações com os talibãs foram suspensas desde julho, depois de apenas uma reunião, com o anúncio de que o antigo líder talibã, Mullah Mohammad Omar, estava morto há mais de dois anos. O Taliban cancelou sua participação em uma segunda reunião.

A posterior luta interna pelo poder no Taliban tem levantado questões sobre quem iria representar os insurgentes, se e quando as negociações com Cabul forem retomadas.

Acredita-se que o Paquistão tenha influência sobre os talibãs, mas as relações com Cabul têm sido tensas nos últimos meses. Os dois países há muito tempo se acusam mutuamente de apoiar o Taleban e outros insurgentes que operam junto à fronteira.

Ashraf Ghani, presidente afegão, participou de uma conferência regional no mês passado em Islamabad, que apelou para a retomada das negociações de paz entre o governo afegão e o Taliban. Ghani foi bem recebido na reunião, que também contou com a presença dos EUA e representantes chineses.

Analistas têm alertado que, apesar da aproximação entre Cabul e Islamabad, quaisquer negociações de paz substantivas devem durar meses. Fonte: Associated Press