O presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, afirmou que está relutante quanto à ideia de dividir o poder com rebeldes, liderados pelo ex-vice-presidente, Riek Machar, que deve retornar ao posto caso seja estabelecido um governo de união.

“Uma das propostas discutidas inclui posições de primeiro e de segundo vice-presidentes e uma disputa entre os dois. Lutamos contra a noção de que o poder pode ser alcançado por meio da violência”, afirmou o gabinete do governo de Kirr, em nota.

A declaração também aponta que, apesar de o vice-presidente James Wani Igga ser um membro do governo, ele pode perder sua posição sob os termos do acordo, que ainda está sendo negociado. Em uma das propostas, Riek Machar poderia ser colocado no posto de primeiro vice-presidente do Sudão do Sul. Machar foi vice-presidente de Salva Kiir até julho de 2013, quando foi demitido em meio a uma disputa de poder no partido do governo.

O Sudão do Sul é palco de conflitos esporádicos desde dezembro de 2013, quando as forças do governo leais ao presidente Kirr tentaram acabar com uma rebelião liderada pelo ex-vice-presidente Riek Machar. As negociações de paz entre os dois grupos devem ser retomadas no final deste mês. Kiir é membro do grupo étnico dominante, Dinka, enquanto Machar é do grupo minoritário Nuer. Fonte: Associated Press.