O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, reconheceu nesta segunda-feira que seu gabinete vem recebendo dinheiro da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) nos últimos dez anos, mas afirmou que os pagamentos mensais são de uma “pequena quantia”.

Karzai falou sobre a questão depois de o jornal The New York Times ter publicado, em sua edição de domingo, que a CIA faz pagamentos secretos, no valor de dezenas de milhares de dólares – geralmente em sacolas de compra – com o objetivo de manter sua influência sobre o volátil líder afegão.

“Sim, o escritório de segurança nacional tem recebido apoio dos Estados Unidos nos últimos dez anos”, disse Karzai aos jornalistas durante uma coletiva de imprensa em Helsinque, na Finlândia, respondendo a uma pergunta sobre se ele havia recebido recursos da CIA. “Mensalmente. Não uma quantia grande. Uma pequena quantia que tem sido usada para vários propósitos.”

Karzai, que está em viagem pelo norte da Europa, fez das declarações após reunir-se com o presidente finlandês Sauli Niinisto. Os Estados Unidos não são o único país a enviar recursos secretamente para a presidência afegã. Em 2010, Karzai reconheceu receber sacolas cheias de euros do governo do Irã.

Autoridades afegãs disseram que esses recursos têm sido usados pelo presidente para recompensar apoiadores e comprar a lealdade de líderes tribais. Em Helsinque, Karzai disse que o dinheiro da CIA tem sido usado em “propósitos diversos, propósitos operacionais no fornecimento de ajuda aos feridos, doentes, para o aluguel de certas casas, para todos os propósitos”.

Esses pagamentos representam uma pequena fração do total que os Estados Unidos empregam no Afeganistão. Os Estados Unidos gastaram centenas de bilhões de dólares na guerra no Afeganistão, o mais longo conflito externo a contar com tropas norte-americanas, desde a derrubada do regime do Taleban no final de 2001.

A CIA mantém uma grande presença no Afeganistão, trabalhando em proximidade com a agência de inteligência afegã, o Diretório Nacional de Segurança.

Nos últimos meses, porém, Karzai tem tomado atitudes para conter as ações da CIA e suas forças paramilitares, exigindo publicamente a libertação de um estudante de Kandahar detido pela Força de Ataque em março, além de tentar reivindicar o controle do governo sobre essas unidades. As informações são da Dow Jones.