O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse que pedirá para os habitantes das áreas litorâneas que deixem temporariamente essas regiões.

O anúncio se deve às previsões de uma nova tempestade depois de amanhã na região de Nova Jersey e Nova York, trazendo o risco de fortes ventos (até 89 km/h), chuvas intensas e alagamentos.

Há poucos dias, a região foi atingida pela tempestade Sandy.

“Preparem-se para novos blecautes. Fiquem em casa. Façam estoques novamente”, advertiu Joe Pollina, meteorologista da National Weather Service (órgão federal para previsões do tempo).

Os dois Estados ainda se recuperam das consequências do furacão, e depois ciclone, que devastou parte da costa leste americana. Os problemas se agravaram com a queda de temperaturas na segunda-feira enquanto dezenas de milhares de moradores ainda sofrem com a falta de energia.

“As noites são piores porque você se sente como estivesse lá fora, mesmo quando você está dentro [de casa]”, disse Genice Josey, uma moradora de Far Rockaway, no distrito do Queens, em Nova York.

Além do frio, e da interrupção no fornecimento de energia, a cidade ainda tem pela frente a eleição presidencial, hoje. Mas nem mesmo o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, sabia responder se a cidade estava pronta para o dia. “Eu não tenho a menor ideia”, admitiu ontem.

A tempestade Sandy, que alcançou a costa leste trazendo ventos acima de 100 km/h na semana passada, provocou a morte de mais de 100 pessoas em dez Estados. Cerca de meio milhão de moradores no Estado de Nova York e outros 800 mil em Nova Jersey ainda permanecem sem luz.