Foi aberto hoje, em El Paso, Texas (EUA), o julgamento do ex-agente da CIA (agência de inteligência norte-americana) Luis Posada Carriles, de 82 anos, cidadão cubano e venezuelano acusado de desfechar vários atentados nas décadas de 1970, 1980 e 1990. Posada Carriles, contudo, é julgado hoje por ter mentido a funcionários da imigração dos Estados Unidos, após ter entrado clandestinamente no país, em 2005.

Carriles enfrenta acusações de perjúrio, obstrução à Justiça e fraude no seu processo de naturalização (como norte-americano). Ele também é acusado de prestar falso testemunho há cinco anos, quando foi questionado por uma série de ataques que aconteceram em 1997 contra hotéis em Havana.

Cuba e Venezuela acusam Carriles de ter maquinado a explosão de um avião comercial da Cubana de Aviación, em 1976, um ataque que matou todos os 73 passageiros e tripulantes da aeronave, um DC-8 que voava de Barbados à Jamaica. Ele negou envolvimento no atentado. Ele também é acusado de ter planejado uma série de atentados contra hotéis em Havana, em 1997, um dos quais matou o turista italiano Fabio di Celmo, de 32 anos. As informações são da Associated Press.