Uma corte polonesa sentenciou hoje três homens pelo roubo do letreiro com a frase “Arbeit Macht Frei” (O trabalho liberta), do lugar em que ele fica em um monumento em memória das vítimas do campo de concentração nazista de Auschwitz. O crime ocorreu em dezembro passado. O roubo chocou sobreviventes do Holocausto.

As sentenças para o trio variam de um ano e meio a dois anos e meio de prisão. Dois dos condenados são irmãos. Os homens foram identificados apenas como Radoslaw M., Lukasz M. e Pawel S. O tribunal em Cracóvia informou que os homens confirmaram o roubo, por isso não haverá um julgamento no caso, e a sentença já foi proferida.

A frase “O trabalho liberta” era um slogan do nazismo. Essas palavras se tornaram posteriormente um poderoso símbolo das atrocidades do nazismo durante a Segunda Guerra (1939-1945). Durante 1940 e 1945, mais de um milhão de pessoas, a maioria judeus, morreram em câmaras de gás em Auschwitz-Birkenau ou pela fome e por doenças enquanto faziam trabalhos forçados no campo de concentração.