Suspeito de desvio de verba, o vereador japonês Ryutaro Nonomura, 47 anos, virou sucesso na internet após chorar copiosamente durante uma entrevista coletiva para tentar se explicar.

Eleito em 2011, Nonomura é suspeito de ter gastado R$ 65 mil em 195 viagens entre Tóquio e Fukuoka. Ao ser questionado se possuia os recibos das viagens, ele não conseguiu se explicar. “Finalmente me tornei um membro da assembleia… com o único propósito de mudar a sociedade do Japão. Por isso apostei minha vida”, disse aos prantos.

Honra manchada

Em 2007, veio a público o envolvimento do ministro da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão, Toshikatsu Matsuoka, em dois escândalos políticos. De acordo com a imprensa japonesa, o ministro teria recebido milhões de ienes de construtoras e empreiteiras, que depois ganharam licitações de uma agência de gestão florestal controlada pelo governo.

Ele também havia pedido reembolso por despesas realizadas sem custo em seu gabinete. No dia em que prestaria esclarecimentos sobre as acusações a um comitê do parlamento, Matsuoka se enforcou em seu quarto e deixou uma nota explicando as razões do suicídio.