Com um veredicto de quatro votos a favor e três contra, um grupo de juízes e jurados considerou o agente Epaminondas Korkoneas culpado pelo assassinato, intencionalmente, de Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos, em 6 de dezembro de 2008, em uma zona de bares e cafés do centro de Atenas popular entre os anarquistas. O crime provocou distúrbios pelo país. Korkoneas pode ser sentenciado à prisão perpétua, ainda hoje. Um segundo policial, Vassilis Saraliotis, foi considerado culpado de cumplicidade no caso.

A morte de Grigoropoulos gerou duas semanas de distúrbios em toda a Grécia, com jovens saindo às ruas para protestar nas principais cidades. Carros foram incendiados e edifícios e lojas, saqueados. A morte do adolescente também causou um ressurgimento dos ataques de anarquistas, muitos deles lançados contra a polícia e edifícios do governo.

Dois dos três juízes e um dos quatro jurados votaram a favor de que Korkoneas fosse declarado culpado por homicídio com possível intenção. Caso fosse enquadrado dessa maneira, ele levaria uma pena menor. Korkoneas insiste que o adolescente morreu por uma bala perdida, quando ele lançou um tiro de advertência tentando interromper uma discussão entre os jovens.

O julgamento se realizou em Amfissa, cidade 200 quilômetros a oeste de Atenas, por razões de segurança. As autoridades temiam que o caso pudesse gerar novos distúrbios.