As forças de segurança de Uganda entraram em confronto hoje com milhares de manifestantes da oposição que se alinhavam em uma rodovia de 40 quilômetros que leva ao aeroporto para receber o líder oposicionista Kizza Besigye, informaram testemunhas. O político voltou do Quênia. A polícia agrediu oposicionistas na rodovia, em um esforço para dispersar o grupo e melhorar o tráfego, congestionado durante horas desde a chegada de Besigye, disse uma fonte.

“A multidão reagiu lançando pedras na polícia e nos militares”, relatou a fonte, afirmando que a polícia disparou tiros para o ar. A polícia também usou gás lacrimogêneo e jatos d’água contra as pessoas, que estavam andando ao lado do carro de Besigye, porém o efeito foi mínimo. “Os manifestantes começavam a se reagrupar quase imediatamente após serem dispersados.”

Um fotojornalista local teve ferimentos na cabeça, após ser agredido pela polícia enquanto tirava uma foto das forças de segurança se confrontando com manifestantes, segundo testemunhas. O governo de Uganda já proibiu ao vivo a imprensa local de cobrir os protestos contra os altos preços dos alimentos.

A violência ocorre quando o presidente Yoweri Museveni assume para seu quarto mandato, após vencer com folga eleições em fevereiro. Besigye contestou os resultados eleitorais e seu partido Fórum pela Mudança Democrática planeja realizar hoje uma cerimônia paralela de posse na capital, Kampala. As informações são da Dow Jones.