A polícia de Hong Kong informou que prendeu 19 pessoas, algumas por ligações criminosas após protestos pró-democracia durante esta semana, majoritariamente pacíficos. Pelo menos 12 pessoas e seis policias foram feridos durante os protestos, informou o comandante do distrito, Kwok Pak-chung.

Líderes dos protestos desistiram de negociações com o governo nesta sexta-feira em razão do que chamaram de falta de atitude da polícia a respeito da violência contra os manifestantes.

A polícia trabalhou por horas para controlar a situação, enquanto alguns manifestantes provocaram tumultos. As pessoas detidas enfrentam acusações de se reunirem ilegalmente, luta em público e agressão, de acordo com Kowk. Acredita-se que oito homens tenham cometido crimes previamente ou participado do crime organizado.

Centenas de pessoas permaneceram nas ruas durante a madrugada de sexta-feira para sábado em Mong Kok, uma das áreas de compras mais movimentadas de Hong Kong. “Claro que estou assustada, mas temos de continuar e apoiar todo mundo”, afirmou Michael Yipu, de 28 anos, que trabalha em um banco. Após a meia-noite, os manifestantes se mantiveram pacíficos, enquanto a polícia permanecia no local.

Os protestos começaram em 26 de setembro. Os manifestantes querem que o governo chinês reveja a decisão de exigir que todos os candidatos na eleição de 2017 em Hong Kong sejam aprovados por um comitê de maioria pró-Pequim. Fonte: Associated Press.