O governo do Hamas, na Faixa de Gaza, disse que está buscando três suspeitos de terem sequestrado e matado um ativista italiano pró-palestino, Vittorio Arrigoni de 36 anos. A polícia de Gaza colocou retratos dos suspeitos, que supostamente são militantes salafistas, no seu website.

O salafismo é um ramo extremista do Islã, com ligações com a rede Al-Qaeda. Entre os três suspeitos, está um ex-policial de Gaza e um jordaniano, o qual a polícia afirma que estrangulou Arrigoni.

O ativista italiano trabalhava voluntariamente com os palestinos em Gaza. O corpo de Arrigoni foi encontrado na semana passada, um dia após ele ter sido sequestrado e os salafistas terem divulgado um vídeo com o ativista amarrado e ameaçando matá-lo se o Hamas não libertasse extremistas presos nas cadeias de Gaza. Após um funeral simbólico em Gaza hoje, o corpo de Arrigoni será trasladado ao Egito e depois para Itália. As informações são da Associated Press.