As autoridades da Bélgica descobriram em dezembro o que acreditam ser uma oficina onde os cinturões explosivos utilizados nos ataques terroristas de Paris eram confeccionados e armazenados, informou nesta sexta-feira a promotoria belga. Os cinturões podem ter sido destinados a transportar explosivos.

Segundo a polícia belga, foram encontrados três cinturões confeccionados a mão, rastros de explosivos e a impressão digital de Salah Abdeslam, que é suspeito de ter participado atentados de Paris no dia 13 de novembro e que está foragido. A promotoria informou que a busca foi realizada em um apartamento na comuna de Schaerbeek, localizada na capital belga, Bruxelas.

“Nós encontramos uma casa no início de dezembro e lá encontramos material para fazer explosivos”, disse Eric Van der SYPT, porta-voz do Ministério Público belga. Um comunicado do Ministério Público afirma que o apartamento foi alugado com uma identidade falsa.

Van der SYPT disse o homem que alugou o apartamento onde funcionava a oficina de fabricação de bombas está sob custódia. Ele se recusou a identificar o homem.

Investigadores disseram que os ataques Paris foram planejados na Bélgica, de onde vieram vários dos terroristas. A nova informação confirma que o armamento principal utilizado para realizar os ataques foi criado na Bélgica, antes de ser levado para Paris.

Desaparecido desde 13 de novembro, Salah Abdeslam pode ter fugido para a Bélgica, de acordo com dois homens que garantem tê-lo ajudado. Fonte: Dow Jones Newswires.