Catorze pessoas foram encontradas mortas hoje no Afeganistão. Entre as vítimas, três eram soldados norte-americanos e outros cinco ou seis estavam decapitados, segundo informações do governo da província afegã de Uruzgan. “Eles foram mortos porque o Taleban disse que eles estavam espionando para o governo, trabalhando para o governo”, afirmou Mohammad Khan, vice-chefe de polícia local. Ele contou que um morador da área de Bagh Char avistou os corpos e chamou a polícia.

Hoje também, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) informou que um soldado norte-americano foi morto num ataque insurgente realizado no leste afegão nesta sexta-feira, e que outro militar dos Estados Unidos morreu após a explosão de uma bomba colocada à beira de uma estrada no sul do país. ontem. A Otan não forneceu a localização exata dos ataques. Um terceiro soldado morreu após uma explosão, nesta sexta-feira, no sul do Afeganistão. O comando dos Estados Unidos disse que ele era norte-americano.

Essas mortes elevam para 83 o número de integrantes das forças internacionais mortos neste mês, que já é pior em número de baixas em quase nove anos de guerra. Pelo menos 49 desse militares eram norte-americanos.

Também no sul, uma força conjunta de soldados afegãos e internacionais matou um comandante taleban de nível médio e outros insurgentes na quinta-feira, quando eles instalavam uma bomba na margem de uma estrada perto da capital da província de Kandahar, informou a Otan. Alguns dos insurgentes foram mortos por um ataque aéreo. Na província de Khost, outra força conjunta capturou um suposto integrante da rede Haqqani, um braço da Al-Qaeda ligado ao Taleban.