O Pentágono informou que 50 militares americanos foram diagnosticados com lesão cerebral traumática após um ataque do Irã à base aérea de Ain al-Assad, no oeste do Iraque, em 8 de janeiro – são 16 soldados a mais do que os militares haviam anunciado anteriormente. Na ocasião, o presidente Donald Trump e outras autoridades disseram que a ofensiva não tinha matado ou ferido nenhum militar dos EUA. Os soldados estão sendo tratados por dor de cabeça, tontura, sensibilidade à luz e náusea.

Dos 50 feridos, 31 foram tratados no Iraque e já retornaram ao serviço, incluindo 15 dos diagnosticados mais recentemente. Alguns estão sendo medicados nos EUA. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.