O Partido Comunista de Cuba (PCC) vai começar neste mês a eleição de delegados que vão participar do 6º Congresso da agremiação, convocado pelo presidente Raúl Castro e considerado por ele como a chave para as mudanças que espera aplicar na ilha.

O vice-presidente José Ramón Machado Ventura, que também é membro do colegiado do PCC, indicou que o maior evento da organização, previsto para acontecer em abril, contará com a participação de 1 mil representantes, segundo a edição de hoje do jornal oficial Granma.

O periódico informou que dentre os pré-candidatos que os núcleos (pequenos comitês) do partido indicaram, serão eleitos 1 mil delegados em fevereiro, “uma cifra inferior aos encaminhados para congressos anteriores”. “Prefere-se que os delegados tenham conhecimentos econômicos, já que os debates serão centrados nesses temas”, acrescentou o jornal.

No final do ano passado, Castro convocou o congresso para a segunda quinzena de abril para analisar a situação econômica do país e as transformações necessárias para “atualizar” o modelo, incluindo a abertura para o trabalho independente e uma redução do número de funcionários públicos. Um documento chamado “Projeto de Delineamento da Polícia Econômica e Social”, que serve de base para um debate que inclui a população e os não-militantes, circulou pelo país em dezembro.

Os delegados serão divididos em cinco comissões, explicou Machado Ventura. Posteriormente, essas comissões se transformarão na Conferência Nacional do Partido – que será realizada em dada ainda não marcada ao longo de 2011, durante a qual serão tomadas decisões sobre temas sociais, culturais e não-financeiros. As informações são da Associated Press.