O partido governista do presidente do Egito, Hosni Mubarak, conquistou 90% das cadeiras que estavam em disputa na Câmara Alta do Parlamento, de acordo com os resultados oficiais divulgados hoje. Grupos de defesa dos direitos humanos acusaram que houve fraude generalizada nas eleições, que ocorreram na semana passada.

Das 88 cadeiras do Conselho da Shura que estavam em disputa nas eleições de 1º de junho, o governista Partido Democrático Nacional conquistou 80. Quatro partidos diferentes da oposição conquistaram uma cadeira cada, enquanto quatro cadeiras foram para os independentes. Nas últimas eleições parlamentares, em 2007, o partido governista de Mubarak conquistou 84 das 88 cadeiras. O Conselho da Shura tem 264 cadeiras e um terço dos parlamentares são indicados por Mubarak.

O principal grupo da oposição egípcia, a Irmandade Muçulmana, foi o principal perdedor nas eleições. O grupo apresentou 14 candidatos, mas todos perderam. A Irmandade Muçulmana se juntou ao coro da oposição, que denuncia fraudes. Nas eleições parlamentares gerais egípcias de 2005, que também incluíram a Câmara Baixa, a Irmandade Muçulmana conquistou cerca de 25% das 454 cadeiras. Embora a organização tenha sido proscrita, seus candidatos concorrem como independentes.

Grupos de defesa dos direitos humanos reportaram uma ampla gama de violações durante as eleições, incluindo ataques contra eleitores e proibição de que observadores entrassem em algumas sessões eleitorais.