O Parlamento da Irlanda elegeu hoje Enda Kenny, líder do partido Fine Gael (centro-direita), como primeiro-ministro do governo de coalizão. A eleição ocorreu após os representantes do Partido Trabalhista (centro-esquerda) e do Fine Gael concordarem em formar um governo comprometido com a revitalização da economia irlandesa, devastada pela dívida.

Kenny, de 59 anos, prometeu resolver a crise sobre o resgate de bancos que tem dominado as finanças da Irlanda e pediu ajuda emergencial da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Ele disse que os termos dos empréstimos da União Europeia e do FMI concedidos ao país devem ser renegociados para tornar seus custos mais viáveis para a Irlanda e permitir a recuperação do país de déficits recordes e do desemprego de dois dígitos.

Kenny foi eleito primeiro-ministro por unanimidade, com 117 dos 166 deputados do Parlamento votando “sim” para sua candidatura. Apenas 27 deputados foram contra. Foi a primeira vez na história da Irlanda que um primeiro-ministro não enfrentou nenhum candidato rival.

Kenny disse que revelará a formação de seu gabinete ainda hoje, após receber o selo do gabinete da chefe de Estado cerimonial da Irlanda, a presidente Mary McAleese.

O Fine Gael ficou com 76 assentos no Parlamento (pouco menos da maioria das cadeiras), e os trabalhistas, com 37, na eleição realizada no dia 25 de fevereiro na Irlanda. O pleito resultou na derrota do até então partido governista Fianna Fail. Juntos, os dois partidos formarão a maior maioria parlamentar da história da Irlanda.

O Fianna Fail, que dominou a política da Irlanda desde 1932, voltou ao Parlamento com apenas 20 lugares, o menor número alcançado pelo partido em 85 anos de história. As informações são da Associated Press.