A polícia do Paquistão informou ter prendido hoje quatro militantes que planejavam “ataques terroristas” na cidade de Karachi, capital financeira do país. Foram apreendidos explosivos e roupas que seriam usadas durante os atentados, segundo as autoridades. A polícia não fez qualquer ligação entre os ataques frustrados e a morte no dia 2 em solo paquistanês do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, em uma operação de forças especiais norte-americanas.

O Paquistão afirma que os quatro suspeitos eram membros do grupo militante Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP). Eles foram presos durante uma ação da polícia na área de Pirabad de Karachi, disse o graduado oficial de polícia Omar Shahid em entrevista coletiva.

“A polícia está interrogando quatro homens – Babar Iqbal Babli, Maaz Irfan, Habibur Rehman e Habib Ullah – que o Taleban havia treinado na região tribal do Waziristão do Norte”, afirmou Shahid. “Eles nos contaram que o comandante do Taleban Badar Mansoor os havia mandado a Karachi para cometer ataques terroristas contra as forças de segurança e prédios do governo.”

Segundo Shahid, o grupo pretendia extorquir dinheiro de empresários e também atacar delegacias, sedes das agências de segurança e alvos do governo. “Nós estamos interrogando os suspeitos sobre alguns ataques terroristas prévios, inclusive explosões na cidade.” Três jaquetas suicidas, rifles, pistolas e explosivos foram apreendidos na ação, listou Shahid.

Em grande medida poupada de ataques até recentemente, Karachi – cidade em que tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e dos EUA se abastecem para as lutas no Afeganistão – sofreu ataques recentes contra ônibus da Marinha. O Taleban reivindicou esses ataques, ocorridos no mês passado, que mataram nove pessoas e feriram dezenas.

Mais de 4.240 pessoas morreram no país nos últimos quatro anos em atentados atribuídos à Al-Qaeda e ao Taleban. Autoridades do Paquistão buscam dois homens que lançaram ontem duas granadas no consulado saudita em Karachi, sem deixar feridos. As informações são da Dow Jones.