O chefe do Exército do Paquistão, general Ashfaq Parvez Kayani, ordenou hoje uma investigação sobre vídeos nos quais homens uniformizados fazem disparos contra detentos amarrados e com os olhos vendados. As imagens geraram suspeitas da realização de execuções extrajudiciais por parte as forças que recebem fundos dos Estados Unidos.

Os vídeos sem data foram aparentemente gravados com telefones celulares e circulam há umas duas semanas na internet. Parte da investigação será determinar se os que aparecem com uniformes são realmente soldados, informou Kayani, em comunicado. “Não se espera que um exército profissional se envolva em excessos contra as pessoas que deveriam proteger da doença do terrorismo”, disse o general. Ele lembrou que no passado insurgentes se disfarçavam de soldados.

Não está claro quem primeiro publicou as imagens. O grupo norte-americano SITE, que acompanha a movimentação terrorista na internet, informou que o vídeo surgiu há duas semanas em um site fundamentalista publicado por uma pessoa que diz ser do Vale do Swat, onde o exército lançou uma grande ofensiva contra o Taleban em maio de 2009. O Exército paquistanês enfrenta – e nega – acusações de que realizou execuções extrajudiciais no Swat desde o início da operação.

O vídeo mais longo, com duração de 5 minutos e 39 segundos, mostra o que parece ser um grupo de soldados paquistaneses, com uniforme e armamento completo, que guiam homens que têm os olhos vendados a um local arborizado e em frente a uma parede faz com que parem um junto ao outro. A seguir, os homens são baleados e se ouve uma voz que diz: “Vamos liquidar um por um”. Um soldado se aproxima e dispara contra cada um dos homens. O segundo vídeo dura 53 segundos e mostra apenas as execuções.