O embaixador palestino na Organização das Nações Unidas (ONU), Riyad Mansour, lamentou hoje o fato de as negociações de paz com Israel, retomadas há pouco mais de dois meses, não terem apresentado nenhum avanço tangível até o momento.

“Apesar dos genuínos esforços empenhados, um progresso tangível ainda não foi obtido e as esperanças diminuem”, declarou Riyad durante um debate sobre o Oriente Médio promovido hoje pelo Conselho de Segurança (CS) da ONU.

Riyad atribuiu a falta de avanços a “ações e declarações provocativas de Israel” e disse que isso vem minando “o espírito e as intenções do diálogo”.

O embaixador israelense na ONU, Ron Prosor, também fez uma análise pessimista das negociações relançadas pelo secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e acusou os palestinos pela falta de avanço.

O subsecretário-geral da ONU Jeffrey Feltman, por sua vez, observou que, “apesar da intensificação das negociações, houve acontecimentos temerários que não podem ser ignorados”.

Apesar da retomada das negociações, Israel tem insistido na expansão de colônias judaicas na Cisjordânia ocupada, o que é apontado pelos palestinos como um sinal de “falta de sinceridade” por parte dos israelenses.

Também nesta segunda-feira, forças israelenses mataram um homem durante uma tentativa de captura perto da cidade cisjordaniana de Bilin. O Shin Bet identificou o suspeito como Mohamed Aatzi. Na versão das forças de segurança, o suspeito atirou primeiro. Duas pessoas que estavam com ele foram detidas.

Aatzi é acusado de militar no grupo extremista Jihad Islâmica e de ter participado de um ataque a um ônibus em Tel-Aviv no ano passado. O ataque em questão deixou passageiros feridos e foi perpetrado durante uma campanha de bombardeios de Israel contra a Faixa de Gaza. Fonte: Associated Press.