Uma investigação das Nações Unidas do conflito entre israelenses e palestinos na Faixa de Gaza encontrou evidências de que os dois lados cometeram “crimes de guerra”. A Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou hoje o fato, data da entrega do relatório sobre o tema. A investigação, liderada pelo ex-juiz sul-africano Richard Goldstone, concluiu que Israel cometeu “ações equivalente a crimes de guerra, possivelmente crimes contra a humanidade”. O foco do estudo é o confronto militar entre os dias 27 de dezembro e 18 de janeiro, na Faixa de Gaza, que deixou quase 1.400 pessoas, a maioria palestinos.

A ONU afirma que o relatório “conclui que também há evidência de que grupos armados palestinos cometeram crimes de guerra, bem como possíveis crimes contra a humanidade”, ao lançar foguetes no sul de Israel. O governo israelense se recusou a cooperar com a investigação, afirmando que o Conselho de Direitos Humanos da ONU, que ordenou a apuração, tem uma tendência contra o país.