O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban ki-moon, condenou na noite de hoje o uso de tanques e de munição de verdade contra os manifestantes na Síria e pediu novamente que o governo sírio aceite uma investigação independente da violência que ocorre no país desde 18 de março.

Grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que mais de 400 pessoas foram mortas pelas forças do governo do presidente Bashar Assad. O Conselho de Segurança da ONU adiou, na noite de hoje, a discussão de um comunicado proposto por quatro países europeus que condenaria de maneira forte a violência na Síria. A discussão deverá ocorrer amanhã. As informações são da Associated Press.