Militantes do Estado Islâmico teriam sido os responsáveis pela morte de civis em Mossul que não cooperaram com o grupo terrorista à medida que a batalha pelo controle da cidade se intensificou, de acordo com a rede de TV britânica BBC.

Segundo as Nações Unidas, 12 civis foram mortos a tiros em 11 de novembro, quando tentaram impedir que integrantes do Estado Islâmico usassem suas casas com o intuito de atacar as forças iraquianas. No total, 27 pessoas suspeitas de passar informação ao exército do Iraque teriam sido mortas pelo grupo, segundo a BBC.

“As pessoas que se recusam a permitir que suas casas sejam usadas dessa forma são ameaçadas ou mortas”, disse a porta-voz da ONU para os Direitos Humanos, Ravina Shamdasani.