O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, manifestou satisfação com o anúncio de acordo entre os negociadores que representam o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, e o governo de facto, liderado por Roberto Micheletti. “Houve progresso e isso nos dá esperança de uma solução hondurenha para a crise hondurenha”, disse Insulza.

As equipes de negociadores alcançaram, na tarde de hoje, um acordo para restaurar Zelaya ao poder e pôr fim à crise política iniciada com sua destituição, em junho. O acordo, no entanto, ainda precisa ser ratificado por Zelaya e por Micheletti.

“Conseguimos um consenso num documento sobre o ponto seis, que se refere à restituição dos poderes do Estado ao que eram antes de 28 de junho de 2009”, disse Victor Meza, representante de Zelaya nas negociações. “Não posso falar do conteúdo do texto, pois descumpriria um compromisso que poderia incomodar a outra parte”, declarou Meza.

Negociadores ligados a Zelaya e ao governo golpista participam de encontros desde a semana passada em busca de uma solução para a crise iniciada com o golpe. As informações são da Dow Jones.