Observadores da Organização das Nações Unidas (ONU) encontraram no leste da Síria 13 corpos com os membros atados, alguns deles com sinais de execução, informou hoje a missão internacional de monitoramento da situação no país.

O anúncio vem à tona apenas alguns dias depois de um massacre no povoado de Houla, situado na província central de Homs. O episódio no qual mais de cem pessoas foram mortas causou ampla repercussão pelo mundo.

Diversos países expulsaram diplomatas sírios, apesar de Damasco negar envolvimento de seus soldados e atribuir os assassinatos a “terroristas armados”.

Os corpos encontrados hoje pelos observadores da ONU estavam na província de Deir el-Zour. Todas as vítimas tinham as mãos atadas e algumas tinham perfurações de balas na cabeça.

O general Robert Mood, chefe da missão de observadores da ONU, declarou-se “profundamente perturbado com este ato estarrecedor e indesculpável”. As informações são da Associated Press.