Os Estados Unidos querem uma Rússia forte, próspera e em paz, disse o presidente norte-americano Barack Obama, durante discurso feito hoje aos alunos da Nova Escola Econômica, em Moscou. Num de seus mais importantes pronunciamentos da visita à Rússia, o mandatário norte-americano pediu o desenvolvimento da democracia e o combate à corrupção no país. “Reconhecemos o benefício futuro que virá de uma Rússia forte e vibrante”, afirmou. Segundo Obama, os desafios enfrentados pelo mundo moderno “demandam parceria global, e essa parceria será mais forte se a Rússia ocupar seu lugar de direito como grande potência”.

O presidente dos EUA se manifestou em defesa da democracia num país criticado por suas deficiências democráticas. “O arco da história nos mostra que os governos que servem a seus povos sobrevivem e prosperam; e não os governos que servem apenas a seu próprio poder”, disse. “Na história de nosso país, as democracias têm sido as mais duradouras aliadas da América, incluindo aquelas com as quais já guerreamos na Europa e na Ásia – nações que hoje vivem com grande segurança e prosperidade.”

Obama afirmou ainda que a Rússia deve respeitar a soberania da Geórgia e da Ucrânia. “A soberania dos Estados deve ser um pilar da ordem internacional”, afirmou. “Assim como devem ter o direito de escolher seus líderes, os países devem ter o direito a fronteiras que sejam seguras, e a suas próprias políticas externas.” Segundo Obama, “qualquer sistema que suspender tais direitos levará à anarquia”.

O presidente dos EUA também mirou na corrupção, considerada um dos flagelos da sociedade russa pós-soviética. “As pessoas em todos os lugares deveriam ter o direito de fazer negócios ou obter educação sem pagar propina”, declarou. “Isso não é uma ideia americana ou russa – é como as pessoas e os países vão caminhar no século 21.” As informações são da Dow Jones.