O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que está em Newton, no Estado de Iowa, para comemorar o Dia da Terra, afirmou que um completo uso da energia eólica pode produzir até 20% das necessidades de energia do país até 2030 e criar cerca de 250 mil empregos. “Com os investimentos em energia limpa, será um jogo em que todos vencem: será bom para o ambiente e ótimo para a nossa economia”, disse Obama.

Obama afirmou que o programa de estímulo à produção de energia eólica offshore – no qual áreas do litoral do país serão arrendadas e usadas para gerar eletricidade a partir do vento e de correntes marítimas – vai pavimentar o caminho para novos grandes investimentos em energia limpa. “Existe um enorme interesse em projetos eólicos no litoral dos Estados de New Jersey e Delaware e o anúncio de hoje vai possibilitar que esses projetos prossigam”, disse o presidente.

Em Newton, Obama visitou uma antiga usina que agora é usada para fabricar torres para produção de energia eólica. A Casa Branca afirma que o local é um exemplo de como os investimentos em energia limpa podem criar empregos e ajudar as áreas afetadas pela recessão a se recuperarem. A fábrica de torres emprega dezenas de ex-funcionários da antiga usina, de acordo com o governo.

As declarações de Obama durante a visita forneceram uma visão geral sobre a agenda energética da Casa Branca, desde seus planos para um programa “cap-and-trade” (que limite as emissões de poluentes) até crédito fiscal para carros mais eficientes no consumo de energia.

Enquanto Obama viajava para Iowa hoje, três altos representantes do governo dos EUA – o secretário de Energia, Steven Chu; a administradora da Agência de Proteção Ambiental, Lisa Jackson, e o secretário de transportes, Ray LaHood – pressionaram os congressistas a acelerarem a legislação que limita as emissões de gases poluentes.

O trio depôs em uma audiência no Congresso que seguiu-se à informação da Agência de Proteção Ambiental dos EUA divulgada na semana passada de que os gases que provocam o efeito estufa ameaçam a saúde e o bem-estar públicos. Os Republicanos se opõem ao plano porque se preocupam com seu custo. As informações são da Dow Jones.