O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deixou de lado neste sábado as complicações políticas do Oriente Médio para se maravilhar com a beleza de um dos lugares mais estarrecedores da região, a lendária cidade antiga de Petra, na Jordânia.

“Isso é muito espetacular”, afirmou ele, esticando o pescoço para olhar as ruínas, depois de sair de um estreito trajeto em uma praça ensolarada em frente ao famoso Tesouro. A fachada é considerada a obra-prima da cidade antiga, esculpida em pedra de tons de rosa e vermelho pelos nebateus há mais de 2 mil anos.

O passeio de Obama como turista coroou uma visita de quatro dias ao Oriente Médio, que incluiu paradas em Israel, Cisjordânia e Jordânia. A Casa Branca estabeleceu baixas expectativas para a viagem e o presidente retorna para Washington com poucas realizações concretas para mostrar.

Assessores disseram que a intenção de Obama era garantir aos políticos e à população – particularmente de Israel – que ele está comprometido com sua segurança e prosperidade. O presidente, vestido com calça cáqui, jaqueta preta e botas de escalad,a começou o tour a pé na entrada do Siq, um desfiladeiro estreito e sinuoso entre dois penhascos.

Os nebateus construíram Petra como uma junção crucial para rotas de comércio ligando a China, a Índia e a parte sul da Arábia com Egito, Síria, Grécia e Roma. A cidade floresceu até que as rotas foram redirecionadas no século 7, o que resultou na sua decadência. Petra é a atração turística mais popular da Jordânia e recebe mais de 500 mil visitantes por ano desde 2007. Foi cenário de filmes como “Indiana Jones e a última Cruzada.”

Ventos fortes e o céu nublado quase impediram a partida do helicóptero presidencial em Amã, na capital da Jordânia, o que teria forçado Obama pular a parada turística. Mas o tempo melhorou o suficiente para que ele e sua delegação seguissem viagem até Petra. Obama deve retornar para Washington depois do tour. A chegada à Casa Branca está prevista para noite deste sábado. As informações são da Associated Press.