Uma nova geração de líderes deve agir decisivamente e sem hesitação para corrigir os erros do passado e liderar Cuba depois que os que realizaram a revolução de 1959 tiverem partido, disse Fidel Castro em sua coluna de jornal publicada hoje.

Perto do encerramento da cúpula do Partido Comunista Cubano, convocada para traçar o rumo do sistema socialista da ilha e endireitar sua enfraquecida economia, o veterano líder revolucionário elogiou os delegados da reunião. Ele escreveu que ficou impressionado com o preparo intelectual e acredita que estão prontos para a tarefa. “A nova geração está sendo chamada para retificar e mudar sem hesitação tudo o que deve ser retificado e mudado”, escreveu Fidel. “Não há margem para erro”, afirmou.

Divididos em cinco comitês e reuniões a portas fechadas, os delegados do partido estudam mais de 300 propostas para mudanças econômicas, muitas das quais foram anunciadas pelas primeira vez no ano passado. Elas afetam setores que vão da agricultura, energia, transporte e habitação, com novas regras que permitem que os cubanos abram seus próprios negócios.

Os meios de comunicação cubanos disseram que tem havido um intenso debate sobre vários pontos, como a necessidade de contratos formais para melhorar o controle e o pagamento de impostos no setor agrícola; o fornecimento de crédito para trabalhadores independentes que precisam de capital para abrir seus negócios; e a eliminação do sistema monetário do país, pelo qual os trabalhadores recebem pesos cubanos, mas muitos dos produtos importados são cobrados com base no dólar, e estão muito além do alcance da maioria das pessoas.

 

Um comitê deu aprovação inicial para a medida que legaliza a compra e venda de imóveis por cubanos, informou a televisão estatal nesta tarde. Há anos os cubanos pedem o encerramento das restrições à compra e venda de casas e carros, congeladas desde a revolução. Também está sobre a mesa uma proposta para eliminar a caderneta que distribui uma cota mensal de produtos aos cubanos, fornecendo uma cesta básica de comida e outros bens, com pesados subsídios. A caderneta é um dos subsídios mais apreciados da ilha, mas o presidente Raúl Castro já disse várias vezes que ela é insustentável e não incentiva o trabalho.

Os delegados devem votar um pacote de propostas econômicas – numa sessão ampla ainda hoje – que sofreram uma grande revisão desde que foram anunciadas no ano passado. As mudanças não foram tornadas públicas, o que significa que os cubanos não saberão precisamente o que foi votado até que as medidas sejam aprovadas.

O Congresso do Partido não tem poder para transformar as mudanças em lei, mas as sugestões devem ser efetivadas pela Assembleia Nacional cubana nos próximos dias e semanas. O partido também vai nomear seu principal líder antes do final da reunião, amanhã, após um discurso de Raúl Castro. Em todos os congressos passados foram ratificados Fidel Castro como primeiro-secretário e seu irmão mais novo, Raúl, como o número 2.

Mas Fidel anunciou recentemente que não lidera mais o partido e tem efetivamente ficado de fora desde que ficou doente cinco anos atrás. Raúl deve assumir o cargo, deixando as atenções centralizadas na escolha do novo segundo-secretário.

Durante seu discurso de abertura, Raúl propôs que Cuba implemente limites de mandatos para políticos de todos os níveis, uma proposta surpreendente num país que tem sido governado por um dos Castros nas últimas cinco décadas. Com as mudanças no ar, autoridades têm repetidamente enfatizado a mensagem de continuidade em meio a transição para uma nova geração. Até mesmo uma grande parada civil e militar realizada no sábado, para marcar o 50º aniversário da invasão da Baía dos Porcos, foi dedicada à juventude cubana.

Fidel tocou no mesmo assunto em sua coluna hoje, ao aconselhar o partido a se manter fiel a seus ideais. “A tarefa é ainda mais difícil do que a assumida pela minha geração, quando o socialismo foi proclamado em Cuba, a 145 quilômetros dos Estados Unidos”, escreveu Fidel. “É por isso que persistir com os princípios revolucionários é, na minha opinião, o principal legado que podemos deixar a eles”. As informações são da Associated Press.