O governo da Malásia irá deportar o homem norte-coreano que foi preso por suspeita de ter participado da morte do meio-irmão do líder Kim Jong Un, afirmou hoje o procurador-geral do país, Mohamed Apandi Ali.

Segundo Ali, Ri Jong Chol será solto na sexta-feira porque não havia “evidência suficiente” para indiciá-lo, mas “porque não tem visto de viagem válido”.

A polícia havia dito que oito pessoas de nacionalidade norte-coreana eram suspeitos na morte de Kim Jong Nam, mas apenas Ri foi detido. Quatro dos suspeitos fugiram do país após a morte do meio-irmão do ditador norte-coreano.

Ri morava no país há anos e trabalhava para uma companhia malaia, de acordo com seus documentos de trabalho. No entanto, segundo um gerente da companhia, Ri nunca trabalhou com ele. Fonte: Dow Jones Newswires.