Pelo menos 39 pessoas morreram e 15 estão desaparecidas após o naufrágio de um barco pesqueiro que transportava cerca de 100 imigrantes ilegais na costa da Turquia, perto da cidade de Esmirna, no Mar Egeu.

Segundo informou a agência de notícias “Dogan”, o barco aparentemente se chocou contra um recife após afastar-se 50 metros do litoral.

O vice-governador de Esmirna, Ardahan Totuk, afirmou que 45 passageiros foram resgatados com vida, e que o número de mortos já chega a 39 pessoas. Os trabalhos de resgate ainda estão em andamento.

“Pelo que observaram os mergulhadores, estimamos que o número total de mortos pode alcançar 54”, disse Totok, que acrescentou que 15 corpos foram achados no porão do navio.

Entre os mortos há nove crianças e muitas mulheres, e entre os resgatados um mulher e dois mulheres, informou o governador do município de Menderes, Tahsin Kurtbeyoglu,

Segundo as testemunhas, na hora do naufrágio a maioria das mulheres e crianças estavam no porão do barco para se proteger do frio.

Segundo as informações disponíveis, todos os passageiros são de nacionalidade síria ou iraquiana. Após serem informadas pelos sobrevivente da tragédia, as autoridades turcas lançaram uma operação e prederam dois cidadãos turcos acusados de embarcar os imigrantes.

Segundo depoimento dos refugiados, os imigrantes tinham pagado os dois para que os levassem clandestinamente para a Inglaterra.