Rumores de que o governo de Cuba convocaria uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (9) para noticiar a morte de seu ex-presidente, Fidel Castro, geraram polêmica na rede.

De acordo com o jornal Diario de Cuba, a informação teria sido confirmada pelo Centro de Imprensa Internacional de Havana, mas detalhes não foram revelados. A publicação também cita o ex-governador e ex-deputado José Briceño, que afirma ter notícias do retorno de militares cubanos lotados na Venezuela para Havana, seguindo ordem de superiores.

O site “Wikipedia” chegou a escrever “Este é um artigo sobre uma pessoa morta recentemente” na página destinada à biografia de Fidel. Poucos minutos depois, retirou esta infomação do ar.

Boatos do tipo já foram criados anteriormente, sem que o ditador tivesse realmente morrido, mas os rumores se fortaleceram com a ausência de Fidel Castro em eventos importantes, como na chegada de três espiões cubanos libertados pelos Estados Unidos em dezembro. O líder também não fez nenhum pronunciamento sobre o restabelecimento de relações diplomáticas entre Havana e Washington. Além disso, o atual presidente de Cuba, Raúl Castro, também não celebrou o aniversário da Revolução Cubana, como era de praxe.