Dois terços dos homens afegãos dizem que a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, é uma boa notícia, segundo pesquisa divulgada hoje. Não há convergência, porém, sobre o futuro da rede terrorista, de acordo com o levantamento. Segundo a pesquisa, 68% dos entrevistados receberam bem a morte de Bin Laden, que viveu no Afeganistão entre 1996 e 2001, sob o abrigo do regime do Taleban.

A pesquisa mostra uma aprovação geral à operação norte-americana que matou o terrorista no vizinho Paquistão, em 2 de maio. O Conselho Internacional sobre Segurança e Desenvolvimento entrevistou 600 homens nas últimas duas semanas, na violenta cidade de Kandahar e também na relativamente pacífica província de Panjshir, na Universidade de Cabul e em outras três localidades. A morte do extremista levou a pedidos por uma rápida retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão, após quase dez anos de guerra.

“Eu estou feliz com a morte de Osama porque ele matou Ahmad Shah Massoud”, disse um homem de 19 anos na pesquisa, referindo-se ao principal rival do Taleban, morto em um ataque suicida dois dias antes dos atentados de 11 de setembro de 2001. Porém a pesquisa mostrou contrastes. Em Marjah, área onde há muitos combatentes do Taleban e narcotráfico, 71% qualificaram a morte como uma má notícia.

Os EUA enviaram reforços no ano passado de mais 30 mil soldados para o Afeganistão. A partir de julho deste ano o número total de tropas estrangeiras deve cair. “No geral, os resultados mostram que a morte de Bin Laden foi bem recebida, o que significa um passo positivo para a estratégia de transição da comunidade internacional”, afirmou a presidente da entidade responsável pela pesquisa, Norine MacDonald.

Em uma questão sobre se a morte de Bin Laden traria ou não o colapso da Al-Qaeda, a opinião ficou dividida por igual. Muitos observadores temem que o Afeganistão cause uma guerra civil entre o Taleban, o governo e senhores de guerra, após a saída das tropas estrangeiras. Até o final de 2014, as tropas internacionais devem deixar o território afegão.

Explosão

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) informou hoje que quatro de seus soldados morreram em uma explosão no sul do Afeganistão, sem dar mais detalhes. A Otan geralmente não revela a nacionalidade das vítimas no país, mantendo uma política de esperar que as autoridades nacionais confirmem essas mortes. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.