Os protestos de semana passada em Moçambique contra a alta de alimentos tornaram-se violentos, gerando confrontos com a polícia. O Departamento de Saúde afirmou hoje que três pessoas morreram em decorrência de ferimentos da violência da semana passada, elevando o número total de mortos para 13.

A capital Maputo esteve calma no fim de semana e no início de hoje. Muitos trabalhadores e estudantes, porém, ficaram em casa temendo mais violência. A rádio estatal informou que cerca de 200 pessoas foram presas hoje, na província central de Tete, acusadas de envolvimento nos protestos. Outras 12 foram presas acusadas de incitar as manifestações.

Hoje, os moçambicanos não conseguiam mandar mensagens de texto por meio do celular, um instrumento usado pelos manifestantes para organizar os protestos. Não está claro, porém, se a falta do serviço está relacionada com a ação do governo para coibir as manifestações. Ninguém assumiu a responsabilidade por organizar os protestos contra o aumento nos preços de pão, água e eletricidade.