O ministro de Defesa de Israel, Moshe Ya’alon, renunciou nesta sexta-feira àquele que é considerado o segundo cargo mais poderoso do país. A saída do ministro ocorre em meio a tensões com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Ya’alon é membro do conservador Partido Likud, de Netanyahu. O agora ex-ministro disse que tomou a decisão de deixar o governo após o premiê agir para negociar com o parlamentar ultranacionalista Avigdor Lieberman.

“Eu estou renunciando ao governo e ao Knesset [Parlamento] e estou dando um tempo na vida política”, afirmou Ya’alon. Netanyahu lamentou a demissão e disse que havia oferecido a Ya’alon o posto de ministro das Relações Exteriores, atualmente ocupado pelo próprio premiê.

“Eu penso que ele deveria ter continuado como parceiro integral na liderança do país como ministro das Relações Exteriores”, disse Netanyahu em comunicado. Segundo o premiê, a mudança ministerial não ocorre por causa de uma crise de confiança entre ele e seu ministro, mas pela necessidade de expandir o governo e dar mais estabilidade à política do país.

A saída de Ya’alon ocorre em um momento tenso para a segurança de Israel. Mais de 30 civis e soldados israelenses foram mortos em mais de 300 ataques desde setembro, segundo a chancelaria israelense, ainda que a violência tenha diminuído recentemente. Mais de 200 palestinos, em sua maioria supostos autores de ataques, foram mortos pelas forças de segurança israelenses, de acordo com autoridades palestinas. Fonte: Dow Jones Newswires.