Milhares de manifestantes antigoverno fizeram uma passeata neste sábado na capital do Haiti, Porto Príncipe. É a segunda manifestação em dois dias em meio a raiva e descontentamento com atraso na realização de eleições e outros temas políticos.

A multidão marchou pacificamente em direção à embaixada do Canadá. Vários manifestantes carregavam cartazes demandando a renúncia do presidente Michel Martelly e do primeiro ministro Laurent Lamothe.

“Precisamos de eleições no País para que a democracia possa continuar… E não queremos corrupção”, disse Jean Ronald Brison, de 34 anos, dono de uma loja de autopeças.

O governo de Martelly deveria ter convocado eleições em 2011 para a maior parte dos assentos no Senado, toda a Câmara de Deputados e assembleias locais. Tanto ele quanto Lamothe, porém, acusaram os legisladores de bloquear uma votação que levaria à aprovação de uma lei eleitoral. Seis senadores disseram que a lei era inconstitucional e favorecia o governo.

Protesto similar ocorrido na sexta-feira se tornou violento. Enquanto a polícia atirava gás lacrimogêneo, manifestantes queimavam pneus e atiravam pedras. Não houve mortos nem feridos graves.

Lamothe falou sobre o protesto na sexta-feira pelo Twitter. “Pedimos que os manifestantes exerçam seu direito constitucional com responsabilidade”, escreveu.

Quatro protestos já foram realizados na capital haitiana em um mês. Uma quinta manifestação está prevista para semana que vem. Fonte: Associated Press.