Meios de comunicação australianos identificaram o homem que mantém dezenas de pessoas reféns no interior de um café, no centro financeiro de Sydney. Trata-se de Man Haron Monis, de 50 anos, que se autodeclara clérigo muçulmano.

Em 2013, ele foi condenado por enviar cartas com veneno para as famílias de soldados australianos mortos no Afeganistão e na Indonésia. Ele também é acusado de colaborar no assassinato de sua ex-mulher Noleen Hayson Pa. Ela foi esfaqueada e seu corpo foi incendiado enquanto estava via. A principal suspeita do crime é a namorada de Monis, Amirah Droudis.

Monis, que também é conhecido por xedque Haron e Mohammad Hassan Manteghi, nasceu no Irã. Seu endereço mais recente é em Bexley North, no sul de Sydney. Ele oferece serviço de “consulta espiritual” e afirma ser especialista em astrologia, numerologia, meditação e magia negra. As acusações mais recentes contra ele são por indecência e assédio sexual a uma mulher durante a “consultoria espiritual”.