A União Europeia (UE) se converteu em um importante fornecedor de armas para o México ao duplicar suas exportações entre 2009 e 2010, apontou o informe do Conselho Europeu sobre a Exportação de Armas Convencionais, divulgado hoje.

O documento da UE, citado pelo jornal Reforma, mostra que o México substituiu o Chile e a Venezuela na lista dos principais compradores de armas da Europa e passou para o segundo lugar entre os países da América Latina, depois do Brasil.

O valor das exportações de armas convencionais para o México subiu de 154 milhões de euros (cerca de R$ 363 milhões) para 355 milhões de euros (cerca de R$ 788 milhões) em 2010, apontou o comunicado, uma cifra recorde desde o Acordo Global com a UE entrou em vigor, em 2000.

O Instituto Internacional de Estudos Estratégicos assinala que as compras refletem a prioridade que o México deu à luta anticrime, com o apoio dos Estados Unidos. De acordo com especialistas as armas importadas são de uso exclusivo do Exército.

A maior parte das importações feitas pelo México é helicópteros e aeronaves de transporte, equipamentos que integram a Iniciativa Mérida, por meio da qual os Estados Unidos concedem apoio especial ao país.