Dez suspeitos de terrorismo foram detidos na Malásia por supostas ligações com o jovem nigeriano que tentou explodir uma avião comercial dos Estados Unidos em dezembro, informa hoje o jornal malaio “New Straits Times”

O ministro do Interior da Malásia anunciou as detenções ontem, dizendo que eles os detidos são, em sua maioria, estrangeiros ligados a uma rede terrorista internacional. Dentre eles estão quatro sírios, dois nigerianos, um iemenita e um jordaniano, disse Syed Ibrahim Syed Noh, presidente do grupo de direitos humanos que dá assistência a pessoas detidas sob o Ato de Segurança Interna da Malásia. Os suspeitos incluem estudantes de uma universidade malaia em Gombak, disse Syed Ibrahim, que pediu ao governo que julgue ou liberte os prisioneiros.

O jornal “New Straits Times”, ligado ao governo, informou que agências antiterrorismo estrangeiras disseram às autoridades que alguns suspeitos estavam na Malásia e eram ligados a Umar Farouk Abdulmutallab, o nigeriano de 23 anos acusado pela tentativa de derrubar o avião dos EUA. O jornal não diz como obteve a informação.

O ministro do Interior, Hishammuddin Hussein, recusou-se a confirmar as informações ou dar outros detalhes, dizendo que isso poderia colocar em risco a investigação. Ele disse que os detentos representam uma “séria ameaça” para a segurança e que suas prisões foram baseadas na cooperação com agências de inteligência internacionais. “Este é um chamado importante para nós porque a área de atuação dos terroristas já não é apenas um país. Sua área de atuação é todo o planeta”, disse ele.