O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou neste domingo a nomeação do major general Manuel Quevedo como o novo presidente da estatal Petróleos de Venezuela (PdVSA) e ministro de Petróleo do país. “Chegou a hora para uma nova revolução do petróleo”, afirmou Maduro em seu programa televisivo semanal, onde prometeu “limpar” a PdVSA, alegando que o país não avançou o suficiente no desenvolvimento da indústria de gás “devido à corrupção e à burocracia”.

Quevedo, por sua vez, afirmou eu seu perfil no Twitter que, ao lado de Maduro, “vamos ao reencontro com o caminho proposto por [Hugo] Chávez e vamos colocar a PdVSA como o templo sagrado do povo, da nossa juventude, das famílias e dos trabalhadores de bem”. De acordo com o ministro, será por meio da PdVSA que a Venezuela socialista e bolivariana será construída. “Viveremos e triunfaremos”, comentou.

De acordo com Maduro, a decisão faz parte do processo de reestruturação proposto por ele no início do mês. Com isso, Quevedo substitui Nelson Martínez, que ficou pouco mais de um mês no comando da PdVSA, e Eulogio Del Pino, que era o ministro de Petróleo venezuelano.

Em 16 de novembro, o Comitê de Mercados da Associação Internacional de Swap e Derivativos (Isda, na sigla em inglês) decidiu, por unanimidade, declarar que o governo venezuelano e a PdVSA estavam em default. De acordo com a organização, o período de carência para pagamento de bônus de 2027 da PdVSA terminou em 13 de novembro, data-limite também para a quitação do cupom de títulos soberanos da Venezuela.