A maioria dos alemães quer que a Grécia deixe a zona do euro e é contra que novas concessões sejam feitas a Atenas nas atuais negociações com credores internacionais, segundo pesquisa da Mannheimer Forschungsgruppe Wahlen, encomendada pela emissora de televisão ZDF.

A sondagem, que evidencia o aumento da pressão pública para que a chanceler Angela Merkel seja mais dura nas conversas com os gregos, revelou que 51% da população alemã se opõe à permanência da Grécia no bloco, ante a parcela de 45% verificada em pesquisa anterior realizada em 27 de março. Apenas 41% dos alemães querem que os gregos continuem na zona do euro, em comparação a 49% anteriormente.

Além disso, sete de cada dez alemães são contrários à concessão de novas concessões à Grécia, enquanto 24% acreditam que ainda há espaço para agradar aos gregos, indicou o levantamento, que consultou 1.230 pessoas entre 9 e 11 de junho.

A pesquisa sugere que Merkel precisa buscar um equilíbrio entre as exigências feitas pela Grécia em negociações com seus credores e a crescente frustração dos eleitores e parlamentares alemães com o diálogo, que se arrasta há quatro meses.

Enquanto outras autoridades europeias, como o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, dizem estar perdendo a paciência com a Grécia, Merkel insiste que as conversas precisam continuar e defende a permanência da Grécia na zona do euro.

A Grécia e seus credores enfrentam um impasse em discussões para a liberação de US$ 7,2 bilhões (US$ 8,12 bilhões) em ajuda financeira adicional a Atenas, em troca de reformas econômicas. Fonte: Dow Jones Newswires.