Um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado hoje mostra que maio foi o mês mais violento para civis afegãos desde 2007. Uma série de ataques no país, dentre eles um realizado por um suicida que empurrava um carrinho de sorvete, matou pelo menos 21 pessoas. Segundo o documento provisório da ONU, 368 civis foram mortos em maio e 593 ficaram feridos. Antes disso, o mês mais violento havia sido agosto de 2008, quando 341 pessoas morreram.

Segundo a ONU, os insurgentes foram responsáveis por 82% das mortes de civis no mês passado e 12% foram causadas por forças afegãs ou internacionais. Bombas caseiras, como o artefato colocado à margem de uma estrada que atingiu um micro-ônibus em Kandahar hoje, foram a principal causa das mortes. Ataques aéreos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), causa frequente de tensões entre o governo afegão e a aliança, foram responsáveis por 3% das mortes de civis em maio.

O número de vítimas de ataques das forças afegãs e da coalizão tem caído nos últimos quatro anos, apesar do aumento de tropas aliadas e do governo. Um recente relatório da ONU mostrou que os insurgentes foram responsáveis por 2.080 mortes em 2010, ante 440 provocadas por tropas afegãs e da coalizão. Segundo o documento, o número de mortos em ataques aéreos caiu 52% no ano passado em relação a 2009.

A ONU, que prepara um relatório sobre as vítimas no primeiro semestre de 2011, disse que decidiu divulgar os números provisórios hoje por causa do alto número de civis mortos em maio. “Estamos muito preocupados que o sofrimento de civis vai aumentar ainda mais durante o verão, que historicamente registra o maior número de mortes de civis. Os lados do conflito devem aumentar seus esforços para proteger os civis agora”, disse Georgette Gagnon, diretor de direitos humanos para a missão da ONU no Afeganistão. As informações são da Associated Press.