A lobista norte-americana Ashley Turton, esposa de um graduado auxiliar da Casa Branca, foi encontrada na manhã de hoje morta num carro em chamas na garagem atrás de sua casa, nas proximidades do Capitólio. Uma investigação conjunta do Corpo de Bombeiros de Washington e dos departamentos de polícia foi iniciada.

Os bombeiros não identificaram Turton, de 37 anos, pelo nome. Mas a porta-voz da Progress Energy Inc. confirmou que a lobista da empresa era a mulher que estava no carro. Turton era casada com Daniel Turton, responsável pelas relações entre o Poder Executivo e o Congresso. Um porta-voz da Casa Branca não quis comentar o episódio.

Os bombeiros foram até o local pouco antes as 5h da manhã depois que vizinhos ligaram para a corporação relatando que uma garagem estava pegando fogo, disse Pete Piringer, porta-voz dos bombeiros do Distrito de Columbia. Segundo ele, uma das teorias é que o carro bateu no interior e nas proximidades da garagem.

Um adulto e duas crianças foram retiradas da casa, que fica a cerca de oito quarteirões do Capitólio, disse Piringer. A vítima foi encontrada no banco do motorista.

Antes de começar a trabalhar para a Progress Energy, em setembro de 2007, Turton atuou no Capitólio como assistente especial da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, além de ter ocupado outras funções, de acordo com dados do site legistorm.com. As informações são da Associated Press.