O filho do ex-ditador da Líbia, Muamar Kadafi, e seu chefe de espionagem foram acusados nesta terça-feira pelas mortes relacionadas com a guerra civil no país em 2011 e devem ir a julgamento, informou o promotor geral da Líbia, Abdel-Qader Radwan.

Radwan afirmou que Seif al-Islam Kadafi Abdullah al-Senoussi irão à julgamento em 19 de setembro para responder pelos crimes cometidos pela administração do filho do ditador e durante os oito meses em que durou a guerra civil até ele ser deposto.

Um total de 28 ex-membros do regime enfrentará julgamento no mesmo dia sobre várias acusações de morte, formação de grupos armados para violar a lei, incitação de sequestros e estupros.

A Corte Criminal Internacional acusou Seif al-Islam Kadafi de morte e perseguição de civis durante os primeiros dias da revolta. Se for condenado na corte, ele deverá enfrentar pena máxima de prisão perpétua.

O filho de Kadafi continua sendo mantido pelo grupo de milícias responsável pela sua captura nas montanhas da cidade de Zintan, quando ele tentava atravessar a fronteira para o Níger após os rebeldes tomarem o controle da capital da Líbia.

O restante da família de Kadafi, incluindo sua mulher, filha e dois filhos e outros, pediram asilo a Omã em 2012, e se mudaram depois para a Argélia onde encontraram refúgio durante a guerra civil. Fonte: Associated Press.