O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse neste sábado que as novas autoridades ucranianas são fantoches dos radicais armados. Segundo a autoridade, Moscou não vê sentido em ter um diálogo com as novas autoridades da Ucrânia porque, em sua opinião, eles são influenciados por nacionalistas radicais.

“O governo interino não é independente, ele depende, para nosso grande pesar, de nacionalistas radicais que tomaram o poder com os braços”, disse o ministro em uma entrevista coletiva. Lavrov disse que os grupos nacionalistas usam “intimidação e terror” para controlar a Ucrânia.

Ainda que os EUA e a União Europeia tenham pedido que a Rússia inicie um diálogo com as novas autoridades ucranianas, que chegaram ao poder em meio a onda de protestos, o Kremlin recusou uma aproximação, denunciando a mudança de poder na Ucrânia como “golpe inconstitucional”.

O parlamento regional da Crimeia marcou um referendo para 16 de março sobre deixar a Ucrânia e se juntar a Rússia. Legisladores seniores em Moscou disseram que apoiarão o movimento, ignorando as ameaças de sanções e advertências do presidente dos EUA, Barack Obama, que a afirmou que a votação viola o direito internacional.

A estratégica península no sul da Ucrânia tornou-se um ponto de tensão na crise da Ucrânia. A maioria das pessoas na Crimeia se identifica com a Rússia e Moscou tem uma grande base naval no Mar Negro. Fonte: Associated Press.